O que nos inspira

Ela

Amo literatura e cinema (leia-se tudo que que se refere ao audiovisual). Sim, costumo ver o mesmo filme várias vezes. Me inspira as palavras inventadas de Guimarães Rosa, as cores de Almodóvar, o humor de Woody Allen, a poesia de Fernando Pessoa, o surrealismo de Lynch… Gosto especialmente de documentários e Eduardo Coutinho sempre foi uma referência para mim. Me impressiona como ele consegue intimidade com seus personagens e a forma como ele extrai histórias incríveis de pessoas comuns. Adoro ouvir pessoas, conhecer suas experiências, suas visões de mundo. Assim, meu mundo fica maior. O retrô me inspira, porque sinto as coisas antigas cheias de memórias e sentimentos. São as histórias reais por trás de tudo que me emocionam.

Ele

Sou uma pessoa muito sensorial. Gosto de barulho, vibração, cheiro, cor, sabores marcantes, movimento. As experiências mais simples me inspiram: caminhar pelas ruas observando as pessoas e seus ritmos, andar de Fusca (ou de Kombi), as coincidências (ou não) da vida, um gesto naquele momento delicado, uma risada espontânea que reverbera, o som da natureza… Ah! A ardência da comida mexicana. É forte e inspiradora também. Sou apaixonado por música e nas pausas necessárias para achar aquela resposta, gosto de brincar em casa com meu violão. Me encanto com o novo, com o inusitado. Me encantam as histórias de vida das pessoas e como o comum pode ser extraordinário.